Fluminense perde para o Athlético-PR e fica perto do Z-4

Com formação mista, Tricolor sofre segunda derrota seguida no Brasileiro

Por O Dia

Yony González tenta levar o Fluminense ao ataque: time foi dominado pelo Athletico-PR

Yony González tenta levar o Fluminense ao ataque: time foi dominado pelo Athletico-PR – Mailson Santana/Fluminense FC

Um domingo amargo para a torcida tricolor. Com atuação irreconhecível, o Fluminense perdeu para o Athletico-PR, por 3 a 0, neste domingo, na Arena da Baixada, e completou dois jogos seguidos sem vencer no Campeonato Brasileiro. Com isso, despencou na tabela de classificação e se aproximou da zona de rebaixamento, com apenas seis pontos ganhos.

Sem Fernando Diniz, suspenso, no banco de reservas, e Agenor, Gilberto, Ganso e Luciano, poupados, dentro de campo, o Fluminense foi presa fácil para o Athletico-PR, que, com facilidade, se impôs diante da equipe comandada por Márcio Araújo. Marco Ruben, aos 3 minutos, já havia mandado uma bola na trave quando Lucho González, aos 20, subiu entre Nino e Matheus Ferraz e, de cabeça, abriu o placar.

O gol desarticulou o Fluminense. Hesitante na defesa, inoperante no meio de campo e inofensivo no ataque, o Tricolor ainda viu Rodolfo fazer milagre em finalização de Marco Ruben antes de perder Matheus Ferraz, aos 30, com uma lesão na perda direita (Yuri Lima entrou). Para piorar, Airton fez falta em Bruno Guimarães e foi expulso, aos 32.

Com um jogador a menos, o Fluminense não resistiu ao poderio ofensivo do Athletico-PR. Aos 37, Márcio Azevedo cruzou da esquerda, Rony se antecipou a Nino e, de cabeça, tirou Rodolfo da jogada para fazer 2 a 0. O fim do primeiro tempo foi um alívio para o time das Laranjeiras, que escapou de ir para o vestiário com uma goleada.

Na segunda etapa, o Fluminense até se aventurou um pouco mais no ataque, mas sem criar chances reais de diminuir o placar. Já o Athletico-PR, ciente da inferioridade do adversário e satisfeito com a vantagem, passou a cadenciar o ritmo do jogo. Mas manteve a posse de bola e continuou rondando a área tricolor.

Márcio Araújo ainda lançou o garoto Brenner no lugar do apagado Yony González, mas a alteração só mostrou que a opção da comissão técnica de poupar titulares para a partida contra o Cruzeiro, quarta-feira, no Mineirão, pela Copa do Brasil, foi um equívoco. O Fluminense continuou dominado e não foi nem sombra da equipe ousada de outras rodadas atuando fora de casa.

Melhor para o Atlhetico-PR, que seguiu dominando as ações, e, mesmo de forma menos incisiva, ainda chegou ao terceiro gol. Aos 38, Marcelo Cirino chutou de fora da área, a bola desviou em Yuri e foi para o fundo da rede, sem chance para Rodolfo. Um placar justo, em um duelo de ataque e defesa na Arena da Baixada, e que serve de alerta para o Fluminense em relação ao restante da temporada.

COMPARTILHE