DRCI vai investigar Neymar por divulgação de vídeo com imagens íntimas de jovem

Mulher acusou atacante de estupro; telefone do craque deve ser apreendido para perícia

Por Aline Cavalcante

Neymar posta vídeo na rede social e nega que tenha havido estupro

Neymar posta vídeo na rede social e nega que tenha havido estupro – Reprodução / Instagram
Rio – A Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) vai investigar o atacante Neymar Junior após o jogador ter divulgado, nas redes sociais, na noite do último sábado, vídeo com imagens íntimas da jovem que o acusou de estupro. De acordo com a Polícia Civil, será instaurado nesta segunda-feira inquérito para apurar o caso e o telefone do craque deverá ser apreendido para perícia. “Vou instaurar procedimento, juntar vídeos e mensagens. Inicialmente,tentarei ouvir o Neymar e apreender o telefone”, informou o delegado da DRCI, Pablo Sartori.
Neste domingo, agentes da 110ª DP (Teresópolis) estiveram na Granja Comary, mas não encontraram o atacante no centro de treinamento da Seleção Brasileira. Num vídeo postado pelo atacante em sua rede social, Neymar se defendeu da acusação de estupro e disse ser vítima de extorsão. “Quem me conhece sabe do meu caráter e da minha índole. Sabe que eu jamais faria uma coisa desse tipo. O que aconteceu nesse dia foi uma relação entre homem e mulher, dentro de quatro paredes, algo que acontece com todo casal. É uma situação chata para mim e minha família. É muito triste acreditar que o mundo está assim. Existem pessoas que querem se aproveitar, extorquir as outras pessoas”, relatou.
Acusação de estupro
A vítima, que teve a identidade preservada, registrou boletim de ocorrência em São Paulo, na sexta-feira, acusando Neymar de estupro. O crime, segundo ela, teria ocorrido num hotel em Paris, no dia 15 de maio. A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo confirmou, em nota, a denúncia. “Houve uma denúncia registrada pela vítima na 6ª DDM (Delegacia de Defesa da Mulher). O inquérito policial segue em sigilo”.
No boletim de ocorrência, a mulher disse que Neymar pagou suas passagens e hospedagem em Paris, por meio de um assessor, e que chegou à capital da França no dia 15. O relato diz que o jogador chegou no mesmo dia ao local, por volta das 20h, aparentemente embriagado. Eles teriam conversado e trocados carícias, porém, em determinado momento, o atacante se tornou agressivo e, mediante violência, praticou relação sexual contra a vontade dela. Até às 22h30 deste domingo, a vítima não tinha se pronunciado publicamente sobre o caso.
Atleta publica troca de mensagens e nudes
O vídeo postado pelo jogador mostra fotos íntimas que teriam sido enviadas a ele pela própria modelo que o acusa do estupro, que teria ocorrido no dia 15 de maio. Neymar postou prints do que seria uma troca de mensagens no WhatsApp com a garota. As conversas entre os dois continuam nos dias seguintes ao suposto crime.
Como as imagens divulgadas foram editadas (algumas partes íntimas foram cobertas, assim como horários, datas e até nomes), o celular do atacante terá ainda de passar por uma perícia técnica. O atleta será investigado pelo artigo 281-C do Código Penal, que diz que trocar, disponibilizar, transmitir, vender ou expor à venda, distribuir, publicar ou divulgar sem o consentimento da vítima, cena de sexo, nudez ou pornografia, é crime que prevê pena de prisão de um a cinco anos.
Nome de Neymar está constantemente envolvido em polêmicas
Desde que chegou ao Paris Saint-Germain, Neymar vem se envolvendo em diversas polêmicas. Lesões, brigas e punições recentes fizeram com que ele perdesse a braçadeira de capitão da Seleção Brasileira, na Copa América. O técnico Tite optou por passar a responsabilidade, durante a competição, para o lateral direito Daniel Alves.
No início do ano, o jogador fraturou o metatarso direito e precisou desfalcar o PSG em jogos fundamentais para a Copa da França, mas, durante o período de recuperação, o atacante participou do Carnaval no Rio e saiu de madrugada da Marquês de Sapucaí, amparado por amigos.
As redes sociais constantemente têm sido usadas pelo atleta para fazer declarações polêmicas, como os insultos feitos aos árbitros responsáveis pela partida em que o PSG foi eliminado na Liga dos Campeões.
“Isso é uma vergonha! Ainda colocam quatro caras que não entendem de futebol para ficar olhando lance em câmera lenta”, escreveu Neymar, na ocasião.
O episódio resultou na sua suspensão em três partidas. Após o retorno, o atacante se viu em nova polêmica. O brasileiro agrediu um torcedor depois da derrota do PSG para o Rennes na final da Copa da França. Nas redes sociais, ele se justificou dizendo que “não tinha sangue de barata”. A agressão rendeu mais três jogos de suspensão. Depois disso, na volta ao time francês, Neymar e o companheiro de equipe, o alemão Draxler, discutiram no vestiário e tiveram que ser separados pelo diretor de futebol, Antero Henrique, e o técnico Thomas Tuchel.
Colaboraram Bárbara Mello e Bruna Fantti
COMPARTILHE