Acusada de chefiar assaltos à agências dos Correios no ES é presa pela Polícia Federal

 

Curta, comente e compartilhe!

Foto: divulgação PF-ES

A Polícia Federal prendeu nesta quinta-feira (5) Jaqueline da Luz, de 33 anos, suspeita de liderar uma quadrilha que assaltava agências dos Correios no Espírito Santo.

PF procura mulher acusada de chefiar assaltos às agências dos Correios no ES

A “Operação Godmother Fase 02” também cumpriu oito mandados de busca e apreensão. Essa é segunda fase da investigação que ocorre desde 2017.

Jaqueline da Luz é mãe de seis filhos menores de idade, moradora do bairro de Jabaeté, na Grande Terra Vermelha, no município de Vila Velha. A Delegacia de Combate a Crimes Contra o Patrimônio e Tráfico de Armas (DELEPAT) identificou 17 pessoas envolvidas. 10 estão presas e quatro delas permanecem foragidas: Wagner Xavier Fernandes (Manguinha), Rodolfo dos Santos Penna, Rodrigo Denardi Vicentini e Marisnaldo Medina.

Durante as investigações dos crimes contra os Correios nos anos de 2017 e 2018, foi identificada a ligação de Jaqueline com a maioria dos criminosos presos à época.

Após a realização de diversas diligências nos locais de crime, tomada de depoimento de testemunhas e interrogatórios de presos, a Polícia Federal comprovou que Jaqueline da Luz tinha posição de comando na quadrilha, sendo respeitada pelos assaltantes, oferecendo hospedagem, logística (veículos) e facilitando a obtenção de armas, além de apresentar criminosos que não se conheciam anteriormente.

Além disso, Jaqueline teria participado diretamente dos roubos às agências de Viana e Venda Nova do Imigrante nos meses de fevereiro e março de 2017, e Domingos Martins, em março e julho de 2018.

Segundo a Polícia Federal, ela teria providenciado veículos para os crimes e permaneceu do lado de fora das agências, vigiando o local e se comunicando com os criminosos por telefone celular, avisando caso alguém fosse entrar nas agências.

O modus operandi do grupo criminoso é render os funcionários e clientes dos Correios, aguardar o mecanismo de retardo do cofre para abri-lo e supostamente tranquilizar as vítimas dizendo que só querem o dinheiro do governo.

Jaqueline da Luz também está sendo investigada por lavagem de dinheiro do produto dos crimes cometidos pela quadrilha A operação contou com a participação de oito Policiais Federais.

 

COMPARTILHE