Problemas para escutar causam isolamento e depressão em idosos

Dona Maria Dias de Jesus, de 67 anos, sofreu por anos com a perda auditiva. “Eu me isolei, pois percebia que as pessoas ficavam irritadas comigo por eu não entender o que falavam e deixei até mesmo de ir à igreja, sou muito devota e me sentia triste por não entender o que o padre estava falando”, contou.O isolamento de idosos do convívio social é uma das características da perda da audição. “É comum que na terceira idade eles apresentem dificuldades para escutar e muitos comecem a evitar festas de aniversários, à igreja ou até mesmo no almoço em família”, explicou a fonoaudióloga Guilhermina Gomes.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), um terço das pessoas com mais de 65 anos têm dificuldades para ouvir. Acima dos 75 anos, quase metade dos idosos apresentam esse problema físico. A degeneração das células do ouvido ou a confusão mental – quando o idoso consegue escutar, mas não compreende o que foi dito – são os principais fatores que prejudicam a audição nessa faixa etária.

Por não conseguirem compreender a fala do outro, falarem muito alto, ou ouvirem a TV, por exemplo, num volume muito alto, o isolamento acaba sendo a única escapatória dos idosos. Segundo a especialista a busca pela ajuda especializada o quanto antes é fundamental para evitar maiores transtornos.

“Sem o diagnóstico e posterior tratamento, a perda auditiva pode agravar a saúde física e mental. Por isso é preciso ter atenção ao comportamento do idoso, pois a perda auditiva pode agravar para um quadro de depressão se os tratamentos não forem feitos da maneira adequada”, frisou doutora Guilhermina.

A especialista alerta ainda que os idosos acima de 60 anos devem realizar exames de audiometria anualmente. E na maioria dos casos de perda da audição, é recomentado o uso do aparelho auditivo ou até mesmo o implante coclear, dependendo do caso,  para que as pessoas da terceira idade recuperem a qualidade de vida. Entretanto, nos casos em que os problemas auditivos são manifestados em decorrência da confusão mental, não é indicado o uso do aparelho auditivo.

“Como não é um problema propriamente auditivo, o aparelho faz aumentar a desorientação, já que eles passam a escutar um zumbido com a amplificação do áudio que o aparelho oferece”, explicou Guilhermina.

Os sintomas que conduzem à perda da audição
Existem vários sintomas que mostram que um idoso está perdendo a audição. Dos sinais de aviso mais importantes, deve dar especial atenção aos seguintes:

  1. Não ouvir o telefone, mesmo quando ele se encontra no volume máximo;
  2. Não conseguir acompanhar uma conversa entre duas ou mais pessoas, pois o diálogo parece tornar-se confuso e imperceptível;
  3. Ter a necessidade de aumentar o volume da televisão para ouvir e compreender o que é dito. Comumente, os idosos colocam o volume da televisão muito alto e não se dão conta disso, sendo necessário que as outras pessoas chamem a sua atenção;
  4. Ouvir constantemente uma espécie de zumbido e um enorme ruído de fundo;
  5. Sentir que outras pessoas estão a murmurar, quando elas estão a falar no seu tom de voz normal;
  6. Não perceber a fala das mulheres e das crianças, pois estas têm, por norma, uma voz mais fina e aguda;
  7. Pedir constantemente às pessoas para repetir o que acabaram de dizer;
  8. Ser frequentemente acusado de não prestar atenção ao que lhes é dito.
COMPARTILHE