Estado convidará startups para ajudarem na solução de desafios da gestão pública

Busca por novas respostas que possam solucionar os desafios da Gestão Pública, otimizando recursos e melhorando a vida do cidadão. Esse é o principal objetivo do Pitch Gov.ES – programa do Governo do Estado, coordenado pela Secretaria de Gestão e Recursos Humanos (Seger) –, que convidará startups de todo o País para contribuírem com seus métodos, experiências e ferramentas tecnológicas.

O Decreto que institui o programa foi assinado pelo governador Renato Casagrande, na manhã desta segunda-feira (1º), em evento que reuniu no gabinete do Palácio Anchieta, em Vitória, dirigentes de órgãos do Executivo Estadual, chefes de outros Poderes e entidades do ecossistema de inovação. O documento será publicado no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (02).

Pioneira no estado, a iniciativa contará com diferentes etapas. A primeira delas já foi realizada, que é a mobilização dos Órgãos e a divisão deles em setoriais estratégicas – Saúde; Educação; Infraestrutura e Mobilidade Urbana; Impacto Social e Cultura; Desenvolvimento Econômico Sustentável; Segurança Pública; e Gestão Pública.

“O propósito da primeira fase foi esclarecer aos gestores como funciona o Pitch Gov.ES e orientá-los, por meio de oficinas e reuniões, quanto à identificação dos desafios de suas áreas de atuação. Essa capacitação foi realizada pelo Laboratório de Inovação na Gestão da Seger, o Labges, com base num método inovador focado no usuário, chamado Design Thinking”, explicou a secretária de Gestão e Recursos humanos, Lenise Loureiro.

Os desafios elaborados pelas setoriais foram encaminhados à Seger, que selecionará os 50 melhores e os publicará num edital de chamamento público, previsto para agosto deste ano. Assim, as startups terão acesso ao conteúdo e poderão inscrever suas propostas de solução.

Ao final das inscrições, as propostas recebidas serão avaliadas e repassadas a uma banca avaliadora que fará a curadoria. As soluções escolhidas pela banca serão testadas e acompanhadas pelo Órgão correspondente e pelo Labges. Além disso, as startups receberão recurso financeiro, via Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação no Espírito Santo (Fapes), para apoio ao desenvolvimento da proposta.

“O programa beneficiará o cidadão, pois trará melhorias aos serviços que ele utiliza; o governo, ao ter seus desafios solucionados; e as startups, já que terão investimento para as suas propostas e a oportunidade de conseguir visibilidade no mercado”, destacou Lenise.

O governador Casagrande reforçou o compromisso do Governo do Estado em criar um ambiente adequado para a inovação. “Quando a gente lança o primeiro Pitch Gov do Estado, ele serve de incentivo. Primeiro, temos quedescobrir o que precisamos. Vamos colocar as pessoas dos órgãos para dizer o que é prioridade e fazer com que passem a pensar o que é problema em cada área. O que a gente quer contratar? Segundo, tem um dinheiro colocado no incentivo e se o experimento for adequado, a gente contrata esse desenvolvimento e incentiva as empresas que estão começando. Vamos colocar o incentivo financeiro e a meta para as pessoas alcançarem”, disse.

Referência

Em 2015 e 2017, o Governo do Estado de São Paulo realizou duas edições similares do PitchGov, ambas bem-sucedidas. Na última, foram apresentados 43 desafios e 500 propostas de soluções foram inscritas, das quais 16 foram selecionadas e testadas em diferentes áreas do governo.

O Pitch Gov.ES não prevê contratação obrigatória da startup. Essa decisão fica a cargo de cada órgão, mediante interesse.

COMPARTILHE