‘É difícil parar o Flamengo’, vibra Jesus após vitória sobre o Palmeiras

Técnico rubro-negro comentou sobre o desempenho da equipe na tarde deste domingo, diante do principal rival no Campeonato Brasileiro, que culminou em mais três pontos. Gabigol e Arrascaeta comandam vitória do Flamengo sobre o Palmeiras. A dupla repetiu a dose do primeiro turno e voltou a balançar a rede contra o Alviverde

Flamengo venceu o Palmeiras por 3 a 1

Flamengo venceu o Palmeiras por 3 a 1 – Foto: Alexandre Vidal / Flamengo
DIEGO ALVES: Soube sair jogando com os pés e trabalhou bem sempre que exigido. Fez um linda defesa no fim do jogo. NOTA 7
RAFINHA: Fez ótimas jogadas quando avançou, inclusive um lindo lançamento no lance do segundo gol. Sem problemas na defesa. NOTA 7,5
RODINEI: Fez o nível cair na lateral direita depois que entrou. Deu muitos espaços e pouco apoiou. NOTA 5
RODRIGO CAIO: Muita tranquilidade na saída de bola, precisão nos desarmes e bem pelo alto. NOTA 7,5
RHODOLFO: Substituindo Pablo Marí, esteve um pouco abaixo do companheiro de zaga, mas não comprometeu. NOTA 6,5
FILIPE LUÍS: Anulou as investidas do Palmeiras pelo lado direito, apesar de mais tímido no apoio. NOTA 7
WILLIAN ARÃO: Foi quase onipresente em campo, com tem sido sob comando de Jorge Jesus. NOTA 7
GERSON: Qualidade na distribuição e muita disposição para marcar no meio de campo. Roubou a bola que resultou no terceiro gol. NOTA 7,5
VITINHO: Voltou a ter uma excelente atuação. Quebrou a marcação com muitos dribles e bons passes. Quase marcou de cabeça. NOTA 7,5
PIRIS DA MOTTA: Depois que entrou em campo, fez a qualidade no passe cair muito e também esteve perdido na marcação. NOTA 5,5
ARRASCAETA: Técnico e decisivo, marcou o primeiro gol, deu uma bela assistência para Gabriel e esbanjou categoria nos passes para criar chances. NOTA 8,5
GABIGOL: Fez o que se espera dele mais uma vez. Artilheiro isolado, voltou a balançar a rede duas vezes contra o Palmeiras, repetindo o primeiro turno, e ainda deu uma assistência. NOTA 9
BRUNO HENRIQUE: O mais discreto do setor ofensivo. Até correu e arriscou algumas jogadas, mas não foi decisivo como de costume. Saiu no intervalo com dores na coxa direita. NOTA 6
DIEGO: Ajudou o time a manter a posse de bola no segundo tempo. Discreto, mas eficiente. NOTA 6,5
COMPARTILHE