Boletim da Conjuntura consolida estatísticas da agropecuária capixaba em 2018

O Boletim da Conjuntura Agropecuária está disponível em formato digital

Como a agropecuária capixaba fechou o ano de 2018? Este panorama é apresentado no Boletim da Conjuntura Agropecuária Capixaba, elaborado pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper). O documento, disponível em formato digital, traz dados sobre a produção e a produtividade agrícola do último trimestre de 2018. O objetivo é oferecer de forma resumida e organizada as principais informações referentes à evolução da produção e dos mercados.

O Boletim reúne informações das atividades agropecuárias e de todos os seus produtos no Espírito Santo, e consolida as estatísticas da agricultura capixaba referentes ao ano passado. Os dados são fundamentais para a elaboração de políticas públicas por parte dos órgãos governamentais, e contribuem para auxiliar os produtores de base familiar do Estado a tomarem decisões com relação à atividade que desenvolvem.

“Na agricultura do Espírito Santo em geral, os dados do IBGE mostram que em 2018 ocorreu uma elevação de 15,4% na produção e 18,9% no rendimento médio, se comparado ao ano anterior. O café e a cana-de-açúcar merecem destaque, com aumentos consideráveis de rendimento médio”, explicou o engenheiro agrônomo e analista em desenvolvimento rural do Incaper, Enio Bergoli. Além de Bergoli, os graduandos Arthur Mendonça Emery Cade, bolsista do Incaper/Embrapa e Artur Barros Alvarenga, bolsista do Incaper/Fapes, também contribuíram na elaboração do documento.

Bergoli também mencionou os dados específicos a respeito da cafeicultura capixaba. “Segundo os dados da Conab, a safra de cafés no Espírito Santo foi recorde em 2018, atingindo uma produção total de 13,7 milhões de sacas. Os dados apontam para quase 9 milhões de sacas de Conilon e 4,7 milhões de arábica produzidas em terras capixabas, no ano passado. Em que pese o fato de Minas Gerais ser o maior produtor de cafés do país, o Espírito Santo continua consolidado na segunda posição nacional, sendo detentor da cafeicultura mais completa do Brasil, por produzir em quantidade e qualidade, as duas espécies de cafés mais consumidas no mundo”.

Estruturado a partir dos levantamentos estatísticos, acompanhados de tabelas, gráficos e distribuição espacial da produção, o Boletim da Conjuntura baseia-se nos dados discutidos e aprovados pelo Grupo de Coordenação de Estatísticas Agropecuárias (GCEA) do Espírito Santo, órgão colegiado coordenado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). São apresentados também dados do levantamento de preços pagos aos produtores capixabas feito pelo Incaper e de pesquisas agropecuárias desenvolvidas por outras instituições governamentais.

COMPARTILHE