Ativista que ajudou a denunciar João de Deus por abusos sexuais comete suicídio

Familiares e a ONG Vítimas Unidas, grupo do qual Sabrina de Campos Bittencourt fazia parte, confirmaram que a ativista tirou a própria vida neste sábado

Foto: Divulgação

A ativista que reuniu mulheres para denunciar os abusos sexuais cometidos pelo médium João de Deus e pelo guru Sri Prem Baba tirou a própria vida no sábado (02), na Espanha. Segundo familiares, Sabrina de Campos Bittencourt cometeu suicídio por volta das 21h, na cidade de Barcelona, onde vivia atualmente.

A informação foi publicada pelo filho de Sabrina, Gabriel Brum, em sua página no Facebook. “Ela deu o útimo passo pra gente poder viver. Eles mataram minha mãe”, escreveu. Sabrina tinha 37 anos e sofreu abuso quando criança. A ativista deixou uma carta explicando os motivos que a levaram a tirar a própria vida.

Veja abaixo a publicação feita pelo filho de Sabrina

Foto: Reprodução/Facebook

Sabrina fazia parte da ONG Vítimas Unidas. A presidente do grupo, Maria do Carmo Santos, também confirmou suicídio como causa da morte da ativista. “A luta de Sabrina jamais será esquecida e continuaremos, com a mesma garra, defendendo as minorias, principalmente as mulheres que são vítimas diárias do machismo”, publicou Maria do Carmo no Facebook.

Denúncias

Sabrina esteve envolvida na coleta de denúncias de vítimas de João Teixeira de Faria, acusado de abusos sexuais e preso desde de dezembro. Na manhã deste sábado, Sabrina chegou a se manifestar sobre a prisão do filho do médium, Sandro Teixeira de Faria. A Justiça recebeu denúncia do Ministério Público de Goiás (MP-GO) contra ele por coação no curso do processo e corrupção ativa e determinou sua prisão.

“Confirmo que Sandro Teixeira tem ameaçado nossas testemunhas, coagido, entrado na casa das pessoas, proíbe que falem comigo, Maria do Carmos Santos e Vana Lopes, do Grupo Vítimas Unidas. Estamos protegendo várias destas vítimas e testemunhas”, disse ela.

Durante a repercussão do caso João de Deus, Sabrina disse ter recebido ao menos 185 denúncias contra 13 líderes espirituais brasileiros desde setembro. Sabrina começou a reunir os relatos após mulheres relatarem supostos abusos cometidos pelo guru Sri Prem Baba.

Em contato com supostas vítimas do guru, Sabrina teria percebido que as mulheres estariam sofrendo ameaças, o que a motivou a criar um movimento organizado de denúncias. Em um mês, foram 103 relatos.

João de Deus

O médium João de Deus segue preso no Núcleo de Custódia, em Aparecida de Goiânia. Ele foi denunciado por dezenas de mulheres que afirmam ter sofrido abusos sexuais cometidos durante atendimentos espirituais do médium. João de Deus é réu em dois processos, mas nega os crimes.

Com informações de Estadão Conteúdo.

COMPARTILHE