Casagrande fala após prisão do deputado Luiz Durão

Vitória – A prisão do deputado estadual Luiz Durão, suspeito de estupro de uma menina de 17 anos, mexe diretamente com a organização do primeiro escalão do Governo Casagrande. Um dos aliados do governador Renato ainda na campanha, o PDT é o partido do parlamentar preso e que se movimentou para mantê-lo na Assembleia Legislativa nos próximos anos.

Durão ficou na suplência da coligação PDT-DEM-PPL-PSD, e os pedetista, para dar um novo mandato a ele, indicaram Marcelo Santos para o cargo de secretário estadual. Escalado pelo governador para ocupar o Esportes, Marcelo Santos deixaria a cadeira na Ales e Durão assumiria. Mas com a prisão tudo poderá ser reavaliado.

“Nós escolhemos Marcelo Santos por indicação do PDT, não para dar espaço para uma outra pessoa. Eu acho que temos que ter prudência, deixa a Justiça concluir o processo. Precisamos ter uma definição mais clara do Poder Judiciária e, a partir daí tomarmos providências”, disse o governador.

Renato Casagrande disse ainda que vai iniciar a semana debatendo com o PDT o espaço e a indicação, mas que conta com o bom senso pedetista para resolver a questão. “Conversarei com o PDT para saber que encaminhamento daremos a esse assunto. Acho que o partido agirá com razoabilidade e eu conto com o bom senso dele. Na segunda-feira feita vou conversar com o deputado Sérgio Vidigal para sabermos a posição do PDT”.

O deputado estadual Luiz Durão (PDT), 70, natural de Linhares, no norte do Espírito Santo, foi preso por estupro. Ele foi flagrado com uma menina de 17 anos na sexta-feira (4) em motel localizado na Serra. Durante a tarde ele prestou esclarecimentos na Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Vitória.

A autuação foi feita pelo delegado Lorenzo Pazolini, que mandou prender o parlamentar no quartel da Polícia Militar, em Maruípe.

A prisão só foi decretada após o parlamentar prestar quatro horas de depoimento e a polícia periciar o quarto do motel, onde foi constatado que houve conjunção carnal. A informação foi confirmada pelo chefe da Polícia Civil, delegado José Darci Arruda. Ele disse que à polícia a menor contou que pegou uma carona de Linhares para Vitória com o deputado e que no caminho ele começou a acariciá-la e a levou para o motel. A vítima disse, também, que avisou aos familiares por meio de mensagem de celular e foi assim que denuncia foi feita.

Luiz Durão está preso no QG da Polícia Militar por ser deputado e advogado por formação, que o permite detenção em sala de estado maior.

COMPARTILHE