Governo entrega Selo Social a empresas que empregam detentos. Quatro delas estão em Linhares

Estado – Setenta empresas, de várias regiões do Espírito Santo, receberam, nesta terça-feira (04), o Selo Social “Ressocialização pelo Trabalho”, por contribuírem para a reinserção de detentos e egressos do sistema prisional no mercado de trabalho. Quatro delas estão no município de Linhares: Weg Linhares Equipamentos Elétricos, Leão Alimentos, Trop Frutas do Brasil e Bebidas e Rimo Indústria e Comércio.

Pelo oitavo ano consecutivo, a cerimônia de homenagem a essas empresas foi realizada no Palácio Anchieta, em Vitória. O Selo Social foi entregue aos empresários pelo governador Paulo Hartung e pelo secretário de Estado da Justiça, Walace Pontes. A cerimônia também contou com a participação de representantes da equipe de Governo, do Poder Judiciário, do Ministério Público, do Poder Legislativo, além de empresários de diversos setores do Espírito Santo.

O governador Paulo Hartung classificou a solenidade como significativa. “Eu celebro mais uma vez esse Programa que lançamos em nosso segundo Governo, uma visão do Dr. Ângelo Roncalli (ex-secretário de Estado da Justiça) em que precisávamos ter uma estrutura forte de socialização, acolher de uma forma a educar os internos e dar acesso à formação e ao exercício profissional. Para isso, precisávamos trazer empresas e órgãos públicos para participarem deste Programa de Ressocialização. Precisamos ter uma sociedade que puna, quando erros forem cometidos, mas que também abra janelas de oportunidades para que as pessoas tenham uma segunda chance e sejam recuperadas”, ponderou.

O secretário de Estado da Justiça, Walace Pontes, também destacou a importância da participação da sociedade, em especial, dos empresários capixabas, no processo de reintegração social das pessoas privadas de liberdade. “Esse é o oitavo ano em que o Governo do Estado certifica as empresas que absorvem a mão de obra de detentos do sistema prisional. E esse é um momento especial para todos nós, pois não há ressocialização sem a participação da sociedade”.

O secretário também ressaltou os avanços do sistema prisional do Espírito Santo nos últimos anos. “Hoje, a estrutura das nossas unidades prisionais permite que os detentos trabalhem, estudem e participem de cursos de qualificação”, finalizou.

COMPARTILHE