Preso em flagrante falso advogado quando tentava extorquir vítima

Vitória – Foi preso em flagrante no escritório de trabalho, no bairro Santa Lúcia, em Vitória, um falso advogado. De acordo com a polícia, ele extorquiu quase R$ 25 mil de uma vítima e enganou outras sete. Werley Sartori, de 29 anos, não possui nenhuma certificação na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Na delegacia, ele se apresentou como consultor especialista na retirada de multas.

Segundo informou a polícia, a prisão do suspeito aconteceu na última quarta-feira (17), quando ele tentava extorquir, pela segunda vez, a mesma vítima. A equipe conseguiu efetuar a prisão após denúncia anônima.

A denúncia é que em agosto deste ano, Werley Sartori havia sido contratado por R$ 1000, para retirar uma multa no valor de R$ 2.500. Porém, após o pagamento do serviço, ele informou a vítima que havia outro processo correndo em seu nome e caso não pagasse um valor de R$ 23 mil, ela seria presa no mesmo dia. Para o pagamento da dívida, a vítima realizou quatro empréstimos e ainda colocou o próprio carro como garantia.

Depois de um período, Werley Sartori entrou em contato com a vítima novamente, afirmando que o caso havia passado para um desembargador, que teria solicitado um novo pagamento de R$ 45 mil. A vítima não conseguiu angariar todo dinheiro, mas disse que faria um pagamento de R$ 2 mil. Porém, no momento do pagamento, a polícia efetuou a prisão.

Segundo a titular da Delegacia Especializada em Crimes de Defraudações e Falsificações (Defa), Rhayana Bremenkamp, outras seis vítimas já registraram ocorrências, informando que fazem pagamentos para que Werley Sartori abra processos de retirada de multas. “Porém, ele não abre os processos, só recebe e não devolve os valores”.

O falso profissional para enganar a vítima, usava diversos documentos falsos em nome de uma falsa juíza e de um desembargador que atua no Espírito Santo. Além disso, utilizava o documento de vários “clientes” para falsificar outros. “Todos os documentos apresentados por ele a vítimas eram falsos, em nome da juíza e do desembargador”.

De acordo com a delegada, muitas vítimas ainda podem aparecer, pois o serviço é bastante recorrente, e a empresa a qual o suspeito prestava serviços é bastante conhecida na região.

Werley Sartori já foi ouvido na delegacia há cerca de três anos. Dessa vez, ele será investigado por extorsão, estelionato e falsificação de documento público. A polícia o encaminhou para o Centro de Triagem de Viana. Uma audiência de custódia deveria acontecer ainda nesta quinta-feira (18), mas não há informações sobre se esta ocorreu ou foi adiada. As informações e foto da Polícia Civil.

 

COMPARTILHE