Paulo Hartung afirma: não vou concorrer agora e encerrei minha busca por mandatos

 

 

 

 

Vitória – Após ter uma vida pública com oito mandatos letivos, o governador Paulo Hartung (MDB) disse nesta quinta-feira (12) que não só não concorrerá à reeleição em 2018, como não volta a disputar eleições. Segundo o chefe do poder Executivo estadual, ele encerrou sua trajetória política como candidato.

O encontro faz parte de uma série após ter anunciado sua decisão. Primeiro foram seus secretários, seguido de deputados estaduais.

“Essa decisão significa que não vou mais concorrer, que a eleição de 2013 foi a minha última concorrendo. Não vou mais buscar mandato. Eu tive oito mandatos na vida, três de governador”, explicou. O governador reuniu os prefeitos capixabas em encontro onde garante ter recebido muito carinho dos administradores municipais.
Paulo Hartung destacou que muitos dos prefeitos presentes demonstraram tristeza, o que ele recebeu como gesto de carinho. E, ao mesmo tempo, garantiu que estará em todas as cidades concluindo, iniciando ou inaugurando obras. E brincou que, se fosse candidato isso seria impossível.
“Vi a tristeza dos prefeitos como uma forma carinhosa. Eles quiseram saber o que motivou minha decisão, uma decisão meio incomum na politica brasileira. Expliquei falando um pouco da minha vida e apesar de muito jovem, desde o movimento estudantil entrei na vida publica como deputado estadual, deputado federal, senador, prefeito, governador. Então disse a eles que é hora de passar o bastão, que é a expressão que tenho usado para explicar. É um gesto importante para este momento sombreado da politica brasileira e eu acho que este gesto pode levar as pessoas à reflexão de que a atividade politica não pode ser desmerecida. A gente te que valorizar a politica e o papel dela”, relatou Hartung sobre o encontro.
Sobre nomes a dar apoio, Paulo Hartung disse que não falou disso, embora não esconda que essa foi uma preocupação por parte dos gestores. Contudo, destacou que nos próximos seis meses os prefeitos podem continuar contando com o governo. “Eu não vou disputar eleição, mas vou continuar participando da política, porque acredito nela como ferramenta de transformação, acredito na democracia”.
Aliados liberados
Uma vez fora da disputa eleitoral, o debate agora gira em torno de quem será o nome apoiado por Paulo Hartung à sua sucessão no Palácio Anchieta. O governador destacou que não faltam nomes capacitados e destacou o seu vice-governador, Cesar Colnago (PSDB), o senador Ricardo Ferraço (PSDB), o deputado estadual Amaro Neto (PRB) e o deputado federal Sergio Vidigal (PDT). Mas disse que não compete a ele definir candidaturas.
“Essa discussão não é minha, ela pertence as forças politicas, presidentes de partidos e aos líderes. A mim compete hoje tocar bem a administração estadual com minha equipe até o último dia do mandato. E estou animado, com gás, disposto”.
Além de não definir “o seu candidato”, ao menos por hora, garantiu que não vai interferir na decisão de seus aliados no que diz respeito a apoio a quaisquer candidaturas. “Cada um que vai fazendo reflexão. E eu acho que se eu tive o carinho de todos eles, que me pediram para ser candidato e eu disse que não seria, eles estão numa posição de juntos poderem discutir o caminho que acham melhor”.

COMPARTILHE