Pastor chora e ainda não recebeu a visita da mulher na cadeia

George Alves chora todas as vezes que recebe a visita dos advogados e pergunta pela mulher pastora Juliana Salles, diz defesa

Viana – Preso há 19 dias, desde o dia 28 de abril, no Centro de Detenção Provisória em Viana, o Pastor George Alves ainda não recebeu visitas da mulher, a pastora Juliana Salles. A informação foi divulgada pela advogada Taycê Aksacki. De acordo com ela, De acordo com a advogada, a não ida da pastora a penitenciária faz parte da estratégia da defesa dos pastores. O único contato de George Alves tem sido com a junta de advogados, que faz a defesa voluntária da família. Taycê afirmou que o pastor “chora todas as vezes que se encontra com os advogados”.

 

Segundo a polícia, George está preso por ter atrapalhado as investigações, que apura as causas do incêndio na casa dos pastores. Este incêndio matou os irmãos Kauã e Joaquim, de 6 e 3 anos, filhos de Juliana. George era pai do caçula e padrasto do mais velho. Juliana Salles não é vista em público desde o dia 10 de maio, no enterro dos filhos no Cemitério São José, em Linhares.

 

Mais testemunhas

 

Dois pastores da Igreja Batista Paz e Vida prestaram depoimentos na manhã desta quarta-feira (16), na Delegacia Regional de Linhares. Abisaí Junior, líder da denominação em Conceição da Barra, e Eufrásio Marques, líder da denominação em Pinheiros, estiveram na delegacia e falaram à favor do casal de pastores George Alves e Juliana Sales, que respondiam pela igreja em Linhares.

 

Os dois pastores estiveram na delegacia onde foram ouvidos pelo delegado Romeu Pio de Abreu Júnior. Na saída, afirmaram que não poderiam conversar com a imprensa, diante do sigilo do caso. A Polícia aguarda o resultado das perícias realizadas nos últimos dias para concluir o inquérito. O pastor George Alves segue preso no Centro de Detenção Provisória de Viana, desde o dia 27 de abril. Com informações do jornal A Tribuna.

COMPARTILHE