Luta pelo direito a amamentação de bebês em locais públicos chega a Linhares

Linhares – A consagração legal do direito a amamentação emergiu como resposta da sociedade e em especial, das mulheres que protagonizaram episódios nos quais, mães foram proibidas de amamentarem seus filhos e filhas em locais públicos. O fato gerou grande repercussão social e a realização de mamaços públicos pelo país.

Aqui em Linhares coube ao vereador Jean Menezes apresentar um projeto de lei, o de nº 988/2018 que assegura a todos os bebês o direito a serem amamentados em qualquer local da cidade, público ou privado. A matéria foi lida na sessão legislativa de segunda-feira dia 02 e deverá ser apreciada nas próximas sessões, quando será votada.

Repercussão no país

Em maio de 2011, um grupo de mães também se mobilizou por meio de redes sociais na internet para realizar um mamaço no Itaú Cultural da Avenida Paulista. A motivação do encontro surgiu após a antropóloga Marina Barão, 29 anos, ser proibida de amamentar um dos dois filhos (Francisco, 3 meses, e Antônio, 2 anos) em uma exposição de arte no espaço cultural, em março daquele ano. A funcionária também havia alegado que era norma da instituição não permitir que pessoas se alimentassem no espaço.

Em fevereiro de 2014, cerca de quarenta famílias se encontraram foram ao Museu da Imagem e do Som, na zona Oeste de São Paulo, para promover um mamaço. O ato foi organizado após a modelo Priscila Navarro Bueno, de 23 anos, ter sido repreendida por alguns funcionários do MIS por amamentar sua filha Julieta, de sete meses na ocasião, enquanto visitava a exposição sobre David Bowie.

Segundo a modelo, uma segurança disse a ela que não era permitido amamentar no local. “Infelizmente a sociedade é ainda muito puritana. No carnaval a mulher pode mostrar o seio, mas para dar leite ao seu filho não. É um absurdo uma mulher ter que amamentar em uma sala escondida”, disse Priscila.

COMPARTILHE