Vaca que fugiu do matadouro vira celebridade na Holanda

A história de Hermien comoveu o país, que recorreu às redes sociais para demonstrar seu apoio e um partido político iniciou uma campanha de financiamento participativo

Vaca Hermien
Vaca Hermien – Divulgação/Facebook

Haia – Uma vaca fugiu para uma floresta quando ia para o matadouro na Holanda e permanece escondida há um mês, gerando uma onda de solidariedade entre os holandeses, que decidiram salvá-la. A história deste bovino de couro avermelhado comoveu o país, que recorreu às redes sociais para demonstrar seu apoio e um partido político iniciou uma campanha de financiamento participativo.

Milhares de holandeses decidiram arrecadar fundos para oferecer à vaca Hermien uma aposentadoria confortável em um refúgio que abriga o gado que se aproxima do fim da vida, ao invés de acabar nos ganchos de um açougue. “Deve ter vivido um momento de estresse e de medo ao ver o caminhão que ia ao matadouro. Desde então, não conseguimos capturá-la”, explicou à AFP o veterinário Edo Hamersma.

Hermien fugiu com outra vaca que conseguiram capturar rapidamente quando iniciavam sua fuga pelo leste da Holanda. Já sozinha, Hermien visitou furtivamente à noite os estábulos vizinhos em busca de comida.

No Twitter surgiram hashtags como #YosoyHermien, #GoHermien, #Mekoe (literalmente “eu vaca”, em alusão ao #MeToo, Eu também) para salvar o “heroico” bovino, de três anos e meio.

A família real também deu seu apoio: “Debemos salvar a la vaca Hermien”, “vamos comprá-la juntos para presenteá-la com sua liberdade”, tuitou Pieter van Vollenhoven, gerno da monarca anterior, a rainha Beatriz.

O movimento de solidariedade permitiu reunir quase 50.000 euros (62.300 dólares), o suficiente para comprar a vaca de seu criador para que possa continuar passeando pelas pradarias e desfrutar de seus últimos dias, segundo o jornal popular AD. Mas para isso é preciso capturá-la.

“É preciso deixá-la sossegada, esperar que chegue o momento certo e a saída do gado ao campo. Então, deveria se aproximar de seus pares por si mesma”, acrescentou Edo Hamersma.

COMPARTILHE