Dezembro Laranja? Campanha alerta para tumor mais frequente no Brasil

Foto: Divulgação / Pexel
Foto: Divulgação / Pexel

Durante todo o ano, os brasileiros acompanharam campanhas que adotavam uma cor específica para cada meses. O objetivo é chamar a atenção para doenças que acometem milhares de pessoas diariamente. Entre as campanhas desenvolvidas estão o Outubro Rosa, que alerta para o câncer de mama, e o Novembro Azul, que lembra o público masculino da importância do exame de próstata.
E agora, no fim do ano, quem ganha destaque é o Dezembro Laranja. A cor foi escolhida para a campanha de conscientização sobre a prevenção ao câncer de pele, o tumor mais frequente no Brasil. Segundo a Associação Brasileira de Dermatologia, um em cada quatro casos diagnosticados de câncer são de pele.

A dermatologista Giselly De Crignis, explica que a exposição crônica ao sol sem a proteção adequada é a principal causa das lesões pré-malignas mais encontradas no câncer de pele. “Todo mundo tem que se cuidar, mas os indivíduos de pele clara, cabelos ruivos, olhos azuis, histórico de queimaduras na infância e aqueles que trabalham ou praticam atividades ao ar livre são os mais susceptíveis”, relata a médica.

Por isso, é importante ficar de olho em qualquer alteração na pele e procurar um dermatologista se notar alguma mudança. Existe uma regra conhecida internacionalmente como ABCDE que aponta sinais sugestivos de tumor de pele do tipo melanoma que são Assimetria, Bordas irregulares, variação de Cores, Diâmetro maior que 6mm e Evolução da lesão ou mudança do aspecto geral da lesão. “Pacientes com história prévia de câncer de pele ou familiar de melanoma devem ser atentos pois são grupo de risco”, pontua a médica dermatologista Kátia Ventura.

Mas não é apenas a pele que apresenta os sinais do câncer de pele. A unha também pode apresentar alguma alteração em sua aparência que pode ser indicativa de melanoma. “A pigmentação longitudinal na unha é uma queixa recorrente nos consultórios e seu diagnóstico varia desde um hematoma, a uma micose de unha ou até mesmo um câncer de pele”, relata a dermatologista Carolina Belo.

Entre os sinais de alerta está o surgimento abrupto ou tardio, na quarta ou sexta década de vida, de pigmento na unha. Se observar que este pigmento não é um hematoma e está ficando mais largo, mais escuro ou apresentando borramento é hora de buscar a orientação de um especialista.

Como se prevenir

Para prevenir o câncer de pele a palavra-chave é proteção. O primeiro passo é adotar o hábito de usar o filtro solar diariamente e não apenas em praias e piscinas. “O ideal é um filtro com FPS > 30 no corpo e um FPS > 50 no rosto. Além disso, é importantíssimo incorporar outras medidas de proteção, como chapéu, óculos de sol e roupas com FPS”, explica Waldéria Stephani Ribeiro.

A médica também ressalta que a exposição ao sol deve ser evitada entre 10h e 16h e o filtro solar deve ser reaplicado de três em três horas, após a pessoa entrar em contato com água ou suar excessivamente. “Bebês e crianças também precisam ser protegidos do sol. É importante buscar a indicação de filtros solares que podem ser usados a partir dos seis meses”, reforça Waldéria.

A melhor forma de se chegar à cura ainda é com o diagnóstico precoce para que se detecte a lesão inicial. “Para isso é fundamental realizar o exame de dermatoscopia, exame não invasivo, realizado em consultório por um dermatologista que mudou drasticamente a história dos tumores de pele, aumentando a sobrevida dos nossos pacientes”, ressalta a dermatologista Giselly De Crignis.

COMPARTILHE